Avançar para o conteúdo principal

Angola - Marcas postais de Quiculungo

"Quiculongo atual Conc. do Dist. de Cuanza Norte (Dec. 50/71, de 23/2/1971-B.O. 57).
Por P.P. 78, de 18/5/1917 (B.O.17) foi criado o Posto militar de Calandula que passou a denominar-se Posto de Quiculungo e a pertencer, como Posto civil, a Ambaca, por Port. 1527, de 3/11/1934 (B.O.44).
A pov. de Quiculungo que deu o nome ao Posto e, actualmente, ao Conc., era já muito importante, comercialmente, em 1915."(1) 
    
"Quiculungo: Pov. comer. de 4.ª, do Posto do mesmo nome com sede em Bolongongo, conc. de Ambaca, dist. do Cuanza Norte, com. do Congo, dioc. de Luanda.
C.T.T.:Estação Postal de 3ª classe, T.P. de 3ª em Bolongongo e Est. de 1ª em Camabatela com todos os serviços.
Camabatela-Quiculungo. Luanda 363 Kms, Salazar 147, Carmona 160, Camabatela 60, Bolongongo 10, Lucala C. de Ferro 120."(2)

A consulta do boletim oficial de Angola revelou-nos a data do alvará n.º4- criação da estação Postal- no B.O. N.º47, de 21 de novembro de 1945.


Em janeiro de 1946, foi publicada, no B. O. n.º4,  a lista das Estações Postais e de Telecomunicações, existentes na Colónia, em 31 de dezembro de 1945, de acordo com o artigo 134.º do Decreto n.º34:076, de 2 de novembro de 1944.  



A 17 de Dezembro o Governador Geral de Angola, Vasco Lopes Alves informa por ofício n.º 3079, o Senhor Ministro das Colónias, Marcelo Caetano que foi criada a estação postal do Quiculungo.


Só em 24 de Janeiro de 1946 é que o diretor geral interino, informa o Administrador Geral dos Correios, Telégrafos e Telefones desta nova estação postal de Angola.

A pedido do "Bureau International de l'Union Postale Universelle", a Direcção sos Serviços dos Correios, Telégrafos e Telefones enviou a lista das Estações Postais da Província de Angola, existentes em 31 de dezembro de 1947, de acordo com o art.º134º do decreto N.º34076, de 2 de novembro de 1944. Numa das páginas aparece o nome da estação postal de Quiculungo com a designação dos serviços que desempenha.



Fig1-Arquivo Histórico Ultramarino (AHU), cabeçalho do mapa das estações postais.

Fig.2-(AHU) página das estações postais de Angola em 1947.

A referência à abertura da estação Postal do Quiculungo surge, pela primeira vez, num ofício do "Bureau International de l'Union Postale Universelle" n.º5935 de 30 de junho de 1949. 



Fig.3- (AHU) ofício n.º 5935.

O nome da estação aparece, pela primeira vez, na "Lista Geral das Estações Postais e das Telecomunicações do Império Colonial Português, com designação dos serviços que desempenham", edição de 1949, com a categoria de classe com a designação Postal com serviço de correspondências ordinárias e registadas.

Fig.4-(AHU) Página 16 da Lista Geral das Estações Postais e das Telecomunicações do Império Colonial Português, com designação dos serviços que desempenham
Para terminar este pequeno estudo à volta da estação postal e ao desenvolvimento de Quiculungo vamos terminar com a referência à subida para estação de classe em 1971.



As Marcas Postais
Vamos de seguida mostrar as marcas postais utilizadas nesta recente estação postal.

1) A marca não catalogada do 14º grupo (3): 


Fig. 5-Sobrescrito de Quiculungo para Chicago, klaus Queisser

Fig.6-A marca do 16º grupo e a franquia mecânica

2) A marca catalogada do 16º grupo

Fig.7-Carimbo do 16º grupo

Será de esperar, também, a existência de uma marca para os registos.

A franquia mecânica, do tipo III, ao serviço do Banco de Angola com o título N.º115.
Fig.8-Franquia Mecânica do tipo III, máquina «Pitney Bowes, modelo 804».



_____________________________________________________________________
   (1) MILHEIROS, Mário (1972). Índice Histórico-Corográfico de Angola, IICA-Luanda.
      (2)Magalhães, Alexandre Guedes (1986).Marcas Postais de Angola, Lisboa. Revista «FN - Filatelia- Numismática».
    (3).Grando, António Coxito (1959). Dicionário Corográfico Comercial de Angola, Luanda.Edições Antonito, 4ª Edição.

Comentários

MaisPopulares

Selos Postais 2015-Colónias Portuguesas, 7ª Edição, Mundifil.

Falsificações dos selos tipo Coroa de Angola por François Fournier

Carimbo numérico volante n.º25 de Ambaca

Ambaca – Também conhecida como Pamba


Ambaca: Conc. com sede em Camabatela. Apeadeiro do C. de Ferro de Luanda, do Concelho de Cazengo, ao Km 276.(2)
Povoação comercial de 4ª do Posto de Lucala, concelho de Cazengo, distrito de Cuanza Norte. Servida por uma Estação Telégrafo Postal de 2ª em Lucala (1959), com enc. postais ord., à cobrança e V. P. em Salazar. (2)
Pela Ordem de Serviço nº. 202 de 12.12.1915 foi atribuído carimbo e sinete com o nº. 25.
O carimbo volante de Ambaca (Pamba) faz parte do 2º grupo destas marcas que começam no n.º21 e vão até ao n.º30.(1)



Estes carimbos foram inicialmente pensados para remediar imediatamente um acidente nos carimbos ou dotar uma estação que vai entrar em funcionamento. No caso de Ambaca parece-me que a primeira justificação é que é válida, pois em 7 de outubro de 1910 com o aparecimento do 8º grupo de carimbos, de acordo com a catalogação de Guedes de Magalhães (3) foi atribuído um dos carimbos a Ambaca. Esta marca só foi utilizada aproximadament…

ANGOLA-Marcofilia de Maquela do Zombo

Maquela do Zombo: Vila, sede de Intendência de Fronteira; sede do concelho do Zombo, com os postos de Sede Quibocolo, Cuílo Futa, Béu e Sacandica; distrito do Congo. C.T.T.: Estação T. Postal de 1ª e rádio de 2ª, com todos os serviços. Há uma carreira semanal para a Estação do Caminho de Ferro do Lucala, a 463 Kms, ligando no Negage à carreira diária Carmona-Negage. Há carreiras aéreas regulares. (2)


Foi primitivamente Posto Militar com o nome de Bongue, criado em 13.1.1896 e em 1911 passou a sede da Circunscrição do Zombo. Em 1915 foi criada a Circunscrição civil de Maquela do Zombo. Em 1917 foi sede do Distrito do Congo, aquando do desmembramento deste Distrito e a criação do Enclave de Cabinda. Mais tarde passou a sede do Concelho do Zombo
No governo de Manuel Maria Coelho (de 18/1/1911 a 26/2/1912) “Maio/Junho -Os Zombo entram em conflito com os soldados da guarnição. Faria Leal e, depois o governador de distrito, José da Silva Cardoso, concentram as forças em Maquela do Zombo. Es…

Angola-Eng. João Burnay Caminho de Ferro de Luanda-Ambaca

"Em 31 de Outubro de 1886, iniciou-se a construção da linha do Caminho de Ferro de Loanda, sob a direcção do engenheiro João Burnay, e nela trabalavam nada memos que indivíduos de dez nacionalidades diferentes: portugueses, franceses, belgas, alemãs, ingleses, americanos, espanhois, italianos, um russo e um sueco."(1)

CABO VERDE-Estação Postal de S. Jorge (Ilha do Fogo)

S. Jorge(Crioulo cabo-verdiano, ALUPEC: San Jorji) é uma povoação do Concelho do Fogo, Freguesia de São Lourenço. Estação postal de 2ª classe.

A estação postal de S. Jorge abriu em janeiro de 1913, como foi indicado na obra Marcas Postales de  Cabo Verde (1). Sobre esta estação Félix Guillamón refere que não conhece qualquer marca postal desta localidade.
A figura-1 demonstra que em setembro de 1912 já existia a estação de S. Jorge, a data de abertura será uma data entre 1904 e 1912, uma vez que em 1904 não constava da lista das estações postais de Cabo Verde.
Sobre o movimento postal em (1) temos que em 1913, foram expedidos 247 objetos postais, recebidos 1051, 7 em trânsito num total de 1305 objetos postais e sem nenhuma encomenda postal. Já em 1935 foram expedidos 72 objetos, recebidos 574, 33 em trânsito num total de 689, uma grande redução.Em 1965 apenas foram expedidos 54 objetos postais, o que mostra a razão de ser quase impossível encontrar algum destes objetos expedidos.
São mai…

Angola- Marca do 8º grupo de QUIZENGA

Em  maio de 1900, surge em Angola um novo tipo de carimbo circular datado, com esqueleto A6 e estrelas de cinco pontas a ladear a data. Este grupo de carimbos tem duas variantes, uma designada por Variante A, que tem como legenda PROVINCIA DE ANGOLA OU PROVINCIA D'ANGOLA, e outra designada por Variante B e neste caso na legenda temos CONGO PORTUGUÊS.

Variante A-Como legenda lê-se "PROVÍNCIA DE ANGOLA" (ou D'ANGOLA), com a denominação na parte inferior, entre duas estrelas de cinco pontas.
Na Variante A existem dois subtipos, que apresentam diferenças na legenda. Com legenda PROVINCIA D'ANGOLA é conhecido como variante a), e com legenda PROVINCIA DE ANGOLA é conhecido como variante b). VARIANTE a)- Representação tradicional portuguesa, com o mês em abreviatura literal, mas com o ano contendo os quatro algarismos. Circular datado, “PROVINCIA D’ANGOLA” em cima e localidade em baixo. Estrelas de cinco pontas a ladear a data. A lista seguinte não é a que consta n…

Macau, selo nº135 com variedade cliché

Ceres coloniais- algumas VC

Bloco de 15 selos de Angola, MF 202 com algumas variedades clichés.


Na 4ª e 5ª posição temos as VC XCIV e LXXIX, respectivamente:     

Na 8ª posição temos uma VC não catalogada com duas fendas, finalmente na 15º posição temos a VC N.º CCXXXI.
Na 12º posição aparece-nos a VC N.º: CCLII que ocupa a posição nº167 de algumas das folhas de 180 selos.


No velhinho catálogo de Simões Ferreira já estava catalogada esta variedade de cliché: "nalgumas folhas de 180 selos de 1/2, 1 1/2, 8 e 20 c., no 167º exemplar nota-se um pequeno defeito de impressão à direita dos «RR»» da palavra «CORREIO», que se assemelha a um «C»."(1)

Neste momento é conhecida esta variedade nas folhas de 1/4, 1, 3, 4 1/2, 12 (verde), 30, 40, 60, 80 c. e 1 E (rosa). 
Para os selos da India, 3, 6 e 9 Rs são as taxas conhecidas. 



__________________________
(1) Ferreira, Simões (1977). Portugal (continente e ilhas), colónias e novos países de expressão portuguesa, mercado filatélico, Porto.   
(2)Mota, J. Miranda (2015…